7 de junho de 2021

5 livros indicados por líderes e executivos para se inspirar e alavancar a carreia.

A quarentena e os dias em casa são uma ótima oportunidade para colocar a leitura em dia e torná-la mais frequente. Por isso, na coluna de hoje, 5 líderes e executivos de sucesso indicam os livros que fizeram a diferença em suas histórias. Aquele livro que eles leram em algum momento importante da carreira e da vida e que, até hoje, os ajudam a ser um profissional e uma pessoa melhor.

Vemos ao fundo uma estante com muitos livros, em foco existem alguns livros empilhados.

A quarentena foi uma oportunidade de ampliar o tempo de leitura.

“Um livro bastante importante (diria ser impossível classificar “o mais”) na minha carreira foi o premiado Getting More, escrito por Stuart Diamond. Advogado, jornalista vencedor de um Pulitzer, tive oportunidade de ser aluno do professor Diamond quando cursei o mestrado em direito da Universidade da Pennsylvania e especialização em finanças na Wharton Business School, onde ele leciona há mais de vinte anos. Diferentemente de outros livros igualmente marcantes e importantes para a minha formação (tanto técnicos, quanto “pragmáticos”), a leitura da obra do Diamond veio acompanhada de uma intensa troca de experiências (certamente recebi muito mais do que contribuí) com o próprio autor. O livro faz parte de um curso de negociação (a conjugação dos dois é o grande diferencial) voltado para a acomodação de interesses contrapostos em processos de negociação, não apenas no campo profissional, mas nas mais diversas situações ante as quais nos deparamos na vida. O foco na resolução dos problemas (e não nas pessoas), compreender onde estão interesses comuns e trabalhar neles, pensar de forma incremental e como ser resolutivo são alguns aspectos abordados no livro e no curso. Posso enxergar claramente a diferença não só profissionalmente, mas também na vida pessoal. A principal lição dele é como racionalizar um problema, enquadrando-o em uma matriz objetiva, de modo a afastar vieses pessoais, que sempre acabam sendo um catalisador de conflitos e não um fator de resolução destes. Recomendo com entusiasmo a sua leitura.”

Eduardo Coelho é Advogado e sócio fundador do Coelho e Dalle Advogados.

Vemos um homem de terno sorrindo.

Formado em Direito pela UFPE e com Mestrado em Direito pela Universidade da Pensilvânia, o Advogado Eduardo Coelho é um leitor voraz e tem excelentes indicações.

>>> Você tem hábitos consistentes? Conheça 10 hábitos de líderes de sucesso e inspire-se.

>>> “Sair da zona de conforto é essencial.”, diz Felipe Valença, CEO de uma das maiores fintechs do Brasil.

“No final de 2004, li Gerente Minuto, de Blanchard e Spenser Johson. Esse livro me mostrou um método de gerir o desempenho do time de maneira pragmática, elogiando e corrigindo as rotas quando necessário. Tudo de maneira rápida, tempestiva. Foi de grande valia para minha formação.”

Idoberto Tenório é Diretor Executivo da Fipel – Frigorífico Industrial Pernambucano Ltda.

“No início da pandemia, quando nossas certezas foram postas à prova, o livro Justiça de Michael Sandel me proporcionou uma reflexão profunda sobre as minhas convicções. O livro apresenta uma jornada instigante, analisando temáticas cotidianas sob a ótica da filosofia: imigração, impostos, limites morais do mercado e etc. Em um ambiente de negócios diverso e ávido por inovação, as reflexões proporcionadas por Sandel foram importantes para ampliar meu interesse em entender diferentes pontos de vista e novas formas de pensar e agir.”

Priscilla Moraes é Gerente Sênior de Consultoria da Deloitte.

“No período de 2006 a 2008 fui um voraz consumidor de livros de estratégia, lendo inúmeros volumes de Michael Porter (recomendo o bom e velho ‘Vantagem Competitiva’), Henry Mintzberg (tente ‘Safari de Estratégia’) e Ram Charan (vale ver ‘Execução’). Em meio a esses li um recente lançamento ‘best seller’ chamado ‘A Estratégia do Oceano Azul’ (2005, W. Chan Kim, Renée Mauborgne) cujo a reação inicial não foi mais que a sensação de que ser uma compilação de conceitos levantados e discutidos em tantos outros. No entanto, esse livro que me pareceu tão açucarado começou a me fazer significar o tema de posicionamento competitivo de uma maneira que foi incorporada inclusive na maneira que via a minha própria carreira. Havia anos em que trabalhava como profissional financeiro em uma multinacional, seguindo a então típica trilha de desenvolvimento de vários outros profissionais para galgar as próximas promoções – deixando de lado inclusive temas e áreas de preferência ou afinidade. Entendi na época estar caminhando para um ‘oceano vermelho’, em uma rota em que possivelmente minhas fortalezas não fizessem tanta diferença. A partir de 2008 comecei a maturar um processo de reinvenção profissional, que começou com mudança para Recife em 2010, posições executivas em médias empresas e um histórico como mentor e executivo em Startups que culminaram no lançamento do meu próprio negócio em 2021 – onde tenho combinado tanto as competências técnicas exigidas de um diretor financeiro como fortalezas de minhas áreas de afinidade (sim… estratégia de negócios!), demonstradas de um modo repaginado e acessível assim como foi o próprio livro.“

Marcio Pio é CFO e sócio da CFO as a Service, consultoria especializada em Finanças.

Capa do livro oceano azul

O best-seller “A Estratégia do Oceano Azul” é a indicação do financista e consultor Márcio Pio.

“Todo novo começo surge de um antigo começo”. Não, essa frase não é minha. Mas tem um significado imenso para mim desde que a li na capa de um dos livros do escritor Rogério Chér. Meu momento de vida era uma transição de carreira em agosto de 2019, saindo de um bom emprego, em uma excelente empresa, para o novo e desafiador empreender. A área de atuação? Tangencial à que me envolvi ao longo dos 8 anos anteriores e muito mais ligada às práticas em que trabalhei nos primeiros 5 anos de minha vida profissional. As dúvidas e incertezas sobre o novo (e antigo) caminho a seguir pairavam sobre minha cabeça e foi nos 42 capítulos desse livro que encontrei muitas respostas. Chér traz reflexões e proposições instigadoras que nos fazem entender o caminho que trilhamos até então, as correntes que nos prendem à nossas crenças limitantes e mais, muito mais.

Além do “refletir” de forma existencial nosso momento, ele nos traz de volta à realidade e mostra que é importante encerrar ciclos, estabelecer propósito, inventariar nossos talentos e decidir sobre os próximos passos. Enxergar o próprio negócio como um caminho, buscar trabalho e não emprego, buscar clientes e não empregadores são temas que nos atingem como um soco no estômago. E o melhor disso tudo é que o livro tem uma leitura envolvente, recheada de exemplos práticos da vivência do autor como consultor de RH, vida e carreira. O livro nos leva à uma experiência concreta de transição e mostra que precisamos abrir a porta do porão emocional para alçar voos maiores. Buscar na energia do antigo começo os elementos que precisamos para começar de novo, enfrentando com segurança e maturidade os novos desafios. De tão importante que foi essa leitura, a revisitei 12 meses depois de escolher o novo (e antigo) começo”

Guilherme Dias é Sócio da Carvalhal Auditoria Interna e Compliance.

Conteúdo postado originalmente na Coluna Carreiras e Mercado de Trabalho, de Felippe Pessoa, no site do Jornal do Commercio.

Autor: Felippe Pessoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *